quarta-feira, 7 de julho de 2010

A ARTE DE PARAR



Você já parou hoje?


No nosso dia a dia, estamos tão envoltos de compromissos, trabalhos, horários e tarefas para cumprir, que uma pausa parece ser impossível ou até mesmo desnecessária. Mas, na verdade, parar pode trazer mais disposição para as tarefas cotidianas. É um momento precioso para se pensar antes de agir e assim aproveitar o dia de um modo mais responsável e consciente.
Parar tem o propósito de se tornar mais consciente de si mesmo e de suas intenções. No momento da parada podemos reavaliar nossas escolhas e decidir pelo caminho que realmente queremos. Isso significa sair do “piloto automático” e realmente sentir-se presente e inteiro no aqui e agora.
O sono é um momento de parada no qual “recarregamos nossas baterias”. Após uma boa noite de sono, podemos ter mais energia e vitalidade para enfrentar os desafios do dia.
Durante o dia também podemos dar “pequenas paradas”, para recarregarmos nossas energias, checarmos como estamos nos sentindo e seguir em frente, mais consciente de quem somos e do que queremos.
Parar é recordar, parar é perceber. Parar pode ser importante para notar o mundo a sua volta, as pessoas. Detalhes antes não percebidos podem vir à tona. Você pode lembrar de algo importante, pode perceber algo que nunca tinha notado. E isso não seria possível sem a parada contemplativa.
David Kundtz, autor do livro “A essencial arte de parar”, ensina que há três modos de parar:
Pausas breves: parar por um período curto de tempo, alguns segundos ou minutos. Por exemplo: enquanto está no ônibus, esperando o microondas esquentar a refeição, escovando os dentes etc. O momento de parada pode ser muito simples, e você pode usá-lo no seu cotidiano. Pode ser enquanto caminha, enquanto está no trânsito ou na fila do banco. As paradas breves são as mais comuns. O procedimento consiste em parar o que está fazendo, respirar fundo e prestar atenção em si mesmo. Nesse momento poderão vir lembranças, pensamentos ou imagens a sua mente. Você pode tomar consciência do que está fazendo, dos seus sentimentos naquele momento e até mesmo enviar uma mensagem a si mesmo, por exemplo, encorajar-se: “Eu posso fazer isso”.
Escalas de viagens: paradas de uma hora a vários dias. Pode ser durante uma tarde, dia, ou fim de semana.
Paradas gerais: vão de uma semana a um mês ou mais. Acontecem geralmente em épocas de transição nas nossas vidas. Essas paradas são mais raras e geralmente demandam planejamento prévio.
Seja uma parada grande ou pequena... é sempre importante... Então... pare agora o que você está fazendo. Relaxe, respire fundo e sorria . Muito bem! Tenha um tempo para si mesmo... para relaxar, meditar, contemplar... Cuidar de si mesmo, enfim!

E que tal aproveitar julho, o mês das “férias” para viajar ou dar um passeio bem legal?

Depois você me conta como foi... hehe... Beijos, Gabi

Um comentário:

Larissa Canziani disse...

Isso aí amiga... pausa sempre!
Todos nós seres humanos precisamos de um momento RELEX, né?!
Adorei o texto... Demais flor!
Kisses mil!
Te adoro!